Yoga

A palavra Yoga, é derivada do sanscrito “Yuj” que significa, ligar, unir – ou, união ou comunhão – No livro, “Light On Yoga” de B.K.S Iyengar, está escrito que Yoga, é a verdadeira união da nossa vontade com a vontade de Deus. A sua prática disciplina o intelecto, a mente, as emoções, os desejos.

Yoga é um dos seis ortodoxos sistemas da filosofia Indiana. Foi agrupado e sistematizado por Patañjali, nos Yoga Sutras, que consistem em 185 aforismos.

Na filosofia indiana, tudo existe através do Espírito Universal (Paramãtmã ou Deus), do qual o espírito humano (Jivãtmã) faz parte. O sistema de Yoga assim ensina como o jivãtmã pode se unir ao Paramãtmã, e assim experimentar a sua segura libertação (moksa).

Aquele que segue o caminho do Yoga é um Yogui ou Yoguin.

“Quando a sua mente, o seu intelecto e seu ser (ahamkãra) estão sob controle, livres do desejo inquieto, descansando no espirio interior, o homem se torna Yukta – em comunhão com Deus.” – Sri Krishna

Yoga é muito mais que uma prática diária. Yoga é trazer consciência para o Self, para o aqui e agora – o presente – É estarmos despertos, atentos, centrados, e controlados. Existe além do tapete, uma série de filosofias as quais o yogui deve ter atenção, para que possa progredir no seu crescimento espiritual.

O yoga fala-nos desses ensinamentos. Assim, podemos dizer que a filosofia Yoga, é dividida em oito partes, que se conhecem como os “eight limbs of yoga – os oito membros do yoga”. São eles:

Yamas – Ensinamentos morais

Niyamas – Purificação através da disciplina

Asanas – Posturas Tisicas

Pranãyãma – Controlo respiração

Pratyãhãra – Retirada e emancipação dos sentidos

Dhãranã – Concentração

Para lá da prática no tapete, o yogui deve ter em consideração todos os membros do Yoga, e todos os dias, com disciplina, se introduzir na prática dos restantes membros em todos os contextos da sua vida. É através destas práticas constantes que o yogui poderá caminhar para o famoso estado de samadhi – Iluminação e ligação absoluta com o Todo –

Há muito mais a dizer sobre o Yoga, muito mais a pesquisar e aperfeiçoar o conhecimento. Yoga é uma filosofia de vida, pelo que, na minha opinião deverá ser um processo de descoberta natural, ou seja, a pessoa que o está a traçar deverá percorrer esse caminho no seu tempo, e aprofundar-se no estudo desta filosofia conforme o seu – Eu – sentir como deve fazer.

Para mais informação sobre a filosofia Yoga, aconselho os seguintes livros: Os yoga sutra de Patanjali; Light On Yoga de Iyengar; Ashtanga Yoga de John Scott; The Yamas & Nyamas de Deborah Adele.

Vinyasa Yoga

Vinyasa Yoga, é uma desconstrução do Hatha Yoga, introduzido por Krishnamacharya, surgindo no Ocidente como um estilo contemporâneo. O Vinyasa é uma desconstrução do Hatha, pois diferente do Hatha neste estilo contemporâneo existe uma ligação entre as posturas, ou seja, é uma prática mais movimentada, como se existisse um flow, uma sequência, que liga a prática toda, não a separando de postura a postura.

Vinyasa” do sânscrito “vi” – de uma forma em especial e “nyasa” – colocar, é um método que se descreve como: “A sequência de movimentos coordenados com a respiração que ligam uma postura com outra para criar um fluxo continuo.”

No Vinyasa não existem regras, excepto sobre a respiração, que é a base da prática. Existe uma respiração que acompanha cada movimento – Respiração Ujjayi (respiração vitoriosa) – A respiração Ujjayi tem como objectivo respirar devagar através das narinas e fazê-lo contraindo levemente a glote produzido um som de sussurro na garganta – Através da respiração Ujjayi, produzimos calor e energia suficiente para realizar a prática, retendo essa mesmo energia no nosso corpo. É necessário aprender a respirar devidamente, tanto, para trazer consciência para a prática, como para trazermos consciência para o nosso corpo.


Ashtanga Vinyasa Yoga

O Ashtanga Vinyasa Yoga, é uma linhagem de yoga desenvolvida em Mysore, na Índia, por Sri K. Pattabhi Jois.

Trata-se de uma sequência especifica de Asanas, divididas por Saudações ao Sol, A e B, fundamentais e finais, e seis séries diferentes, mas todas elas já estabelecidas, sem alterações na sua ordem.

-Série Primária

-Série Intermédia

-Série Avançada – Dividida em A – B – C – D

Na prática de Ashtanga Vinyasa, é entregue ao aluno postura a postura, e o aluno só avança na sua prática, quando a ultima postura que lhe foi entregue, estiver a ser concretizada em pleno.

É uma linhagem de yoga que requer uma disciplina fincada, sendo as aulas ao estilo Mysore, as mais indicadas para esta prática.



Se tens interesse em dar inicio à prática de Yoga, entra em contacto comigo.

%d blogueiros gostam disto: